Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook Twitter

Anunciar Empresa
CONHEÇA MAIS O VEREADOR RATO, PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL

CONHEÇA MAIS O VEREADOR RATO, PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL

  Há alguns dias, o vereador Eduardo Alves, o Rato, de Palmares do Sul, lançou sua pré-candidatura a deputado federal pelo
Câmara de Balneário Pinhal entrou em recesso até o dia 02 de agosto de 2018
Professores participam de palestra sobre a Base Nacional Comum Curricular

Professores participam de palestra sobre a Base Nacional Comum Curricular

A BNCC estabelece conhecimentos, competências e habilidades que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica Professores
Capão da Canoa foi palco da primeira fase do Campeonato Gaúcho de Handebol

Capão da Canoa foi palco da primeira fase do Campeonato Gaúcho de Handebol

  Os jogos aconteceram nos dias no sábado (14) e domingo (15) no Ginásio Otto Birlem Capão da Canoa, através do Clube
Vereador Ademar demonstra indignação quanto à retirada da professora Carmem da diretoria de Escolinha de Quintão

Vereador Ademar demonstra indignação quanto à retirada da professora Carmem da diretoria de Escolinha de Quintão

Recentemente, o vereador Ademar Terra, de Palmares do Sul, obteve a informação de que o prefeito municipal pretende retirar a
Legislativo Osoriense aprova nova forma de cobrança da Taxa de Coleta de Lixo – TCL

Legislativo Osoriense aprova nova forma de cobrança da Taxa de Coleta de Lixo – TCL

                Na Sessão Ordinária desta segunda-feira, dia 26 de junho, a Câmara Municipal de Osório aprovou, por unanimidade, o Projeto de
Governo do RS publica edital para a construção do viaduto da Estrada do Mar

Governo do RS publica edital para a construção do viaduto da Estrada do Mar

            O valor orçado para a obra é de R$ 5 milhões A abertura dos envelopes do processo licitatório para a construção
Prefeitura renova termo de parceria com FGTAS/Sine

Prefeitura renova termo de parceria com FGTAS/Sine

              Prefeito Amauri e o diretor-presidente da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social, Rogério Grade, participaram do ato O Prefeito de

Preciso encontrar meu bebê, o desespero das vítimas do terremoto no Equador


000_9q2on
Esta postagem foi publicada em 18 de abril de 2016 Mundo, Notícias Barra Lateral.

Governo mobiliza milhares de soldados, policiais e bombeiros para buscar sobreviventes sob escombros de prédios destruídos em tremor de magnitude.

Começou com um barulho e era como se o chão subisse, foi terrível. As ruas estão destruídas. Não há luz e o telefone não está funcionando.”

Estas são as palavras de Ramón Solórzano, comerciante de 46 anos da cidade de Manta, no Equador. Ele foi ouvido pela agência de notícias Reuters.

“Estávamos reunidos na casa de um amigo e começou a tremer. Nos refugiamos nos arcos da casa e alguns foram para fora. Durou um bom tempo”, disse Pepita de Lucca ao jornal El Comercio.

“Estamos aqui esperando as réplicas, a luz vem e volta, sentimos muito (o tremor). Foram quase dois minutos.”

Mais ao sul, na cidade de Guayaquil, a segunda maior cidade do Equador, o terremoto também foi sentido com força.

María Jaramillo estava trabalhando em um hotel da cidade.

“As pessoas estavam descontroladas, fugindo, vidros quebrando, pedaços do teto caindo, todos nervosos…saímos descalços pela rua”, disse ela à agência Reuters.

Número de vítimas
O terremoto de magnitude 7,8 atingiu o país na noite de sábado. “Tudo pode ser reconstruído, a não ser as vidas perdidas e isso é o que mais dói”, disse o presidente do país, Rafael Correa.

O terremoto causou ao menos 272 mortes e deixou mais de 2 mil feridos.

O vice-presidente, Jorge Glas, disse no domingo que este “número, inevitavelmente, vai aumentar.

Glas foi a Manta no domingo, uma das cidades mais afetadas – e onde uma sobrevivente pediu desesperadamente ajuda para resgatar a família que estava presa nos escombros.

“O terceiro andar caiu em cima de nós. Minha família está lá, minha irmã, meus filhos. Todos dentro, oito pessoas.”

“Acho que todos (estão mortos) porque estávamos no mesmo lugar e caiu tudo. Por Deus! Que venha a ajuda e que venha o resgate! Preciso que venham retirar os escombros. Meu Deus, meus filhos!…”

Vanessa Santos, da cidade de Portoviejo, província de Manabí, está na mesma situação.

“Preciso encontrar meu bebê, ele está desaparecido há cinco horas”, disse ela a um canal de televisão local.

“Minha família, minhas irmãs, meu cunhado, meus sobrinhos estão enterrados no local. Ninguém fez nada até agora.”

Outro sobrevivente em Portoviejo, Luis Alcívar, passou a noite na rua, se cobrindo com uma manta.

“Foi como se, nem sei, como se nossa existência fosse acabar…”, disse Alcívar sobre o momento do terremoto.

O vice-presidente Glas afirmou que foram mobilizados milhares de soldados do Exército, policiais e bombeiros para ajudar no resgate das vítimas.

“Temos informações de pessoas presas e feridas entre escombros em vários lugares”, disse.


422 Visualizações

Notícias em Destaque