Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook Twitter

Anunciar Empresa
CONHEÇA MAIS O VEREADOR RATO, PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL

CONHEÇA MAIS O VEREADOR RATO, PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL

  Há alguns dias, o vereador Eduardo Alves, o Rato, de Palmares do Sul, lançou sua pré-candidatura a deputado federal pelo
Câmara de Balneário Pinhal entrou em recesso até o dia 02 de agosto de 2018
Professores participam de palestra sobre a Base Nacional Comum Curricular

Professores participam de palestra sobre a Base Nacional Comum Curricular

A BNCC estabelece conhecimentos, competências e habilidades que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica Professores
Capão da Canoa foi palco da primeira fase do Campeonato Gaúcho de Handebol

Capão da Canoa foi palco da primeira fase do Campeonato Gaúcho de Handebol

  Os jogos aconteceram nos dias no sábado (14) e domingo (15) no Ginásio Otto Birlem Capão da Canoa, através do Clube
Vereador Ademar demonstra indignação quanto à retirada da professora Carmem da diretoria de Escolinha de Quintão

Vereador Ademar demonstra indignação quanto à retirada da professora Carmem da diretoria de Escolinha de Quintão

Recentemente, o vereador Ademar Terra, de Palmares do Sul, obteve a informação de que o prefeito municipal pretende retirar a
Legislativo Osoriense aprova nova forma de cobrança da Taxa de Coleta de Lixo – TCL

Legislativo Osoriense aprova nova forma de cobrança da Taxa de Coleta de Lixo – TCL

                Na Sessão Ordinária desta segunda-feira, dia 26 de junho, a Câmara Municipal de Osório aprovou, por unanimidade, o Projeto de
Governo do RS publica edital para a construção do viaduto da Estrada do Mar

Governo do RS publica edital para a construção do viaduto da Estrada do Mar

            O valor orçado para a obra é de R$ 5 milhões A abertura dos envelopes do processo licitatório para a construção
Prefeitura renova termo de parceria com FGTAS/Sine

Prefeitura renova termo de parceria com FGTAS/Sine

              Prefeito Amauri e o diretor-presidente da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social, Rogério Grade, participaram do ato O Prefeito de

Cunha encaminha para Renan processo de impeachment de Dilma


renan-e-cunha
Esta postagem foi publicada em 18 de abril de 2016 Notícias em Destaque, Política.

Presidentes da Câmara e do Senado se encontraram na tarde de segunda.
Pilha de documentos foi entregue por assessor na Secretaria do Senado.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), encaminhou nesta segunda-feira (18) o processo de impeachment de Dilma Rousseff ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PDMB-AL). Os dois tiveram um encontro no gabinete de Renan na parte da tarde. A pilha de documentos do processo, com 36 volumes e 11 anexos, foi entregue por um servidor da Câmara na Secretaria Geral da Mesa.

Neste domingo (17), a Câmara dos Deputados decidiu, por 367 votos a favor, 137 contrários, sete abstenções e duas ausências, encaminhar o processo de impeachment ao Senado, que deverá decidir se julga o caso (veja resumo do rito no Senado ao final desta reportagem).

Um resumo do processo deverá ser lido na sessão desta terça-feira (19) no Senado, e deverão ser indicados os integrantes da comissão especial que analisará o caso. O presidente e o relator do colegiado, que terá 21 senadores titulares, deverão ser eleitos dentro do prazo de 48 horas.

A reunião da comissão deve acontecer na quarta-feira (19), já que quinta-feira é feriado.

Veja o resumo do processo no Senado:

– Após receber a autorização da Câmara para abertura do processo por crime de responsabilidade, o documento terá que ser lido no plenário;

– Assim como na Câmara, será criada uma comissão, de 21 senadores, observada a proporcionalidade, com presidente e relator. O relator faz um parecer pela admissibilidade ou não, que precisa ser aprovado na comissão e depois ir ao plenário. Isso porque o STF, ao estabelecer o rito do processo de impeachment em dezembro do ano passado, definiu que o Senado tem o poder de reverter a decisão da Câmara. O plenário do Senado precisa  aprovar por maioria simples (metade mais um dos presentes na sessão);

– Se aprovado no plenário, será considerado instaurado o processo e a presidente será notificada. É afastada por até 180 dias, recebendo a partir daí metade do salário de presidente (R$ 30.934,70). Ela poderá se defender e a comissão continuará funcionando;

– Haverá então a fase de produção de provas. Um novo parecer da comissão deverá analisar a procedência ou a improcedência da acusação. De novo, esse parecer tem que ser aprovado por maioria simples;

– Se aprovado, considera-se procedente a acusação e inicia a fase de julgamento, que é comandada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal. Para que a presidente perca o cargo, o impeachment tem que ser aprovado por dois terços dos senadores – 54 dos 81.


490 Visualizações

Notícias em Destaque